São Paulo é eliminado da Libertadores pelo Cruzeiro

No duelo de ida entre São Paulo e Cruzeiro pelas oitavas de final da Copa Bridgestone Libertadores da América de 2015, no Morumbi, na última semana, o Tricolor criou inúmeras jogadas para vencer por um placar mais elástico, mas parou nas mãos do goleiro Fábio e levou a vantagem mínima para Belo Horizonte: 1 x 0. No Mineirão, o time são-paulino foi pressionado a maior parte do tempo e não conseguiu conter o ímpeto dos cruzeirenses, que venceram por 1 a 0 e levaram a decisão para os pênaltis.

Nas cobranças de penalidades máximas, os mineiros levaram a melhor e venceram por 4 x 3. Rogério Ceni, Paulo Henrique Ganso e Centurión converteram as suas cobranças, mas Souza, Luis Fabiano e Lucão não conseguiram balançar as redes. O M1TO ainda defendeu as cobranças de Leandro Damião e Manoel, porém, não pôde impedir a eliminação do Tricolor.

“A gente não fez uma boa partida. Mas, mesmo assim, conseguimos levar para os pênaltis. Saímos na frente nos pênaltis, mas depois perdemos. É assim, faz parte do futebol. Nosso time ficou muito na defesa. Até tivemos espaço, mas não atacamos. E não fizemos os gols no Morumbi também”, lamentou o meio-campista são-paulino.

Com o retorno do versátil Michel Bastos, recuperado de dengue, Milton Cruz escalou o time com Rogério Ceni; Bruno, Rafael Toloi, Lucão e Reinaldo; Denilson, Souza, Wesley, Paulo Henrique Ganso e Michel Bastos; Alexandre Pato. Com essa formação, Wesley foi deslocado para o lado esquerdo assim como no jogo de ida. Uma das missões do camisa 19 era tentar conter avanço de Mayke, que forçava o jogo pela direita.

Agora, fora do torneio continental, o Tricolor retomará as atenções no Campeonato Brasileiro. No próximo final de semana, em Campinas, o time enfrentará a Ponte Preta e dará sequência ao sonho de conquistar mais uma vez o título nacional e, assim, retornar a Libertadores. A forma honrosa como os atletas suaram a camisa e se empenharam durante toda a competição mostraram que o São Paulo tem condições de reagir e brigar pela taça.